Ferramentas Pessoais
Acções do Documento

Fávio” destrói em Vilankulo

Maputo, 23 de Fev 2007 (www.jornalnoticias.co.mz) Avultados danos materiais é o balanço preliminar da passagem do ciclone tropical Fávio pelo distrito de Vilankulo, em Inhambane, havendo edifícios públicos e particulares com os respectivos tectos parcial ou totalmente arrancados pela força dos ventos, árvores tombadas, comunicações telefónicas e transmissão de dados meteorológicos interrompidas e electricidade cortada. Há registo de pelo menos 17 feridos. Há registo dfe pelo menos 17 feridos. Uma avaliação do Centro Nacional de Operações de Emergência (CENOE) indica para perto de 93 mil afectados em Govuro, Inhassoro e Vilankulo. Nos restantes pontos do país não houve ainda notícias alarmantes, se não o ferimento de uma criança na vila-sede de Machanga, Sofala, em consequência do desabamento da parede da casa de construção precária, onde estava recolhida.

O CENOE decidiu já alocar tendas, alimentos, pessoal médico e 100 militares integrados na Unidade de Protecção Civil para fazer face à situação prevalecente e à reconstrução pós-ciclone.

Os ventos chegaram a atingir 180 quilómetros por hora, e a partir da madrugada de hoje poderão começar a abrandar, vindo a atingir entre 100 e 120 quilómetros horários. Ao final da tarde de ontem continuava em vigor alerta vermelho para os distritos de Massinga, Vilankulo, Inhassoro, Govuro, Machanga, Búzi, Nhamatanda, Chibabava, Dondo, Beira e Muanza, e amarelo para Cheringoma, Marromeu, Gorongosa, Marínguè, Chemba, Caia, Guro, Mussorize, Machaze, Macossa, Sussundenga, Manica, Tambara, Gondola e Mutarara. Parte destes distritos foi afectado a partir de ontem por ventos soprando com rajadas que atingem 200 quilómetros por hora.

Em Vilankulo o cenário foi descrito como sendo preocupante no final da tarde de ontem quando os ventos começaram a abrandar. O presidente do município, Suleimane Amugy, indicou que a cadeia local ficou sem tecto e os reclusos fugiram. A maternidade, o Centro de Saúde, enfermarias e armazém de medicamentos também ficaram a descoberto, o mesmo acontecendo com o centro-internato da escola secundária, assim como as casas da juíza-presidente, da médica-chefe, o armazém distrital (que abastece a zona norte da província) e a delegação do Instituto Nacional de Meteorologia, ficando afectada parte do equipamento e instrumentos. Centenas de casas de construção precária ficaram parcial ou completamente destruídas.

Estão disponíveis até ao momento dois milhões de meticais para mitigar a situação. As necessidades resumem-se em moto-serras para cortar as árvores tombadas, chapas de zinco, tendas entre outros meios de abrigo, para além de alimentos. A colecta de informações prosseguia, com a dificuldade de as estradas estarem bloqueadas.

De Sofala, chegaram-nos informações dando conta de que Machanga começou a registar ventos fortes por volta das 14 horas, acompanhados de chuvas. A menor ferida foi registada na vila-sede e, devido à gravidade dos ferimentos, foi transportada para o Hospital Rural de Muchúnguè. Há registo de desabamento de casas não quantificadas e de árvores, para além de dificuldades de comunicação.

Em Gaza não foi registada nenhuma ocorrência de relevo relacionada com a passagem do “Fávio”, embora medidas cautelares ainda estejam em vigor.

Belarmino Chivambo, porta-voz do CENOE, informou que vão ser disponibilizados tanques para o abastecimento de água à população de Vilankulo, depois de o sistema ficar inoperacional devido à falta de energia. Ao mesmo tempo, estão já a caminho de Inhambane dez tendas-enfermarias e foi decidido o envio de pessoal médico adicional.

Serão, igualmente, alocadas tendas para o centro-internato, assim como 700 toneladas de cereais, 84 de feijão e 28 de óleo, parte das quais já estavam pré-posicionados nos armazéns do PMA.

Uma equipa multissectorial composta por pessoal das Obras Públicas, Saúde, Agricultura, PMA, UNICEF e OMS parte hoje para Vilankulo para avaliar as necessidades, havendo já  manifestações de intenções de apoio.
Hélder Sueia, do Instituto Nacional de Meteorologia, disse à nossa Reportagem que o sistema encontrava-se, ontem, à tarde, em direcção a noroeste, coordenadas que coincidem com Chibabava, em Sofala.

« Novembro 2014 »
Do
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30
INTRANET


Quem pode aceder?
Esqueceu a sua senha?