Imprensa

Autocarros da China aliviam problemática de transporte

Autocarros da China aliviam problemática de transporte

O serviço de transporte público urbano de passageiros entre as cidades de Maputo e Matola poderá registar uma relativa melhoria, nos próximos dias, na sequência do reforço da frota com um lote de 80 autocarros, oferecidos pela República Popular da China.

O donativo foi entregue esta quinta-feira pelo embaixador daquele país asiático, Su Jian, ao governo moçambicano, representado na ocasião pelo titular da pasta dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, e outros quadros do pelouro. 
A oferta resulta da assinatura de um acordo de Troca de Notas de 10 de Outubro de 2016, assinado em Macau, a pedido do governo moçambicano, no âmbito dos Acordos de Cooperação Económica e Técnica assinados em 26 de Fevereiro de 2015 e 4 de Maio de 2016. 
Na ocasião, Mesquita disse que a entrega dos autocarros mostra as boas relações existentes entre os dois governos e, para o governo, o gesto vai contribuir sobremaneira para a mitigação da problemática do transporte público urbano de passageiros que aflige os cidadãos.
A recepção destes autocarros vem se juntar aos esforços do governo tendentes à melhoria do transporte urbano de passageiros, disse a fonte, apontando que está na fase final o processo de aquisição de 300 autocarros, concessão de rotas, criação de bilheteiras e reestruturação das empresas públicas de Transporte Urbano de Passageiros. 
Dada a complexidade da actividade de licenciamento de transportes e gestão das questões emergentes, o governo criou, recentemente, a Agência Metropolitana de Maputo destinada a promover um sistema de transportes assente num planeamento integrado e coordenado nos municípios de Maputo, Matola, Boane e distrito de Marracuene.
A outra medida que tem merecido a especial atenção do executivo, segundo o ministro, é a problemática da assistência técnica e manutenção dos autocarros. Na visão do governo, o reforço da frota deve ser acompanhado por um trabalho rigoroso e profissionalizado de manutenção e reparação dos autocarros, para permitir que durem o tempo de vida concebido pelo fabricante.
Nessa perspectiva, o governo está a terminar um pacote de reorganização da gestão oficinal que consistirá na fusão dos serviços de manutenção das empresas municipais de transporte de Maputo e Matola, integrando a exploração e rentabilização do complexo oficinal que acolheu a cerimónia. 
O ministro disse, por outro lado, que a experiência piloto do Projecto dos 50 autocarros, adquiridos em 2015 e, decorridos 20 meses após a entrada em actividade, se pode afirmar com satisfação que todas as unidades continuam a funcionar e em bom estado.
O Projecto Metrobus, uma iniciativa privada que integra automotoras e uma frota de cerca de 90 autocarros de capacidade diversa, é um exemplo decisivo do contributo do sector privado na solução do problema do transporte público urbano.
A complexidade do problema do transporte público urbano vai contar com as sinergias de todos os intervenientes, por isso, segundo Mesquita, o governo continuará a acarinhar todas as iniciativas de investimento do sector privado.