Imprensa

Detectados 177 casos de falsificação de documentos

Detectados 177 casos de falsificação de documentos

A Direcção Nacional de Identificação Civil (DNIC) detectou, no primeiro semestre do ano em curso, 177 casos de falsificação de documentos.

Os dados foram revelados hoje, em Maputo, pelo porta-voz da DNIC, Alberto Sumbane, que disse que muitos dos casos ocorreram nas províncias de Gaza e Maputo ( no sul do país), Manica(centro) e Cabo Delgado( no norte).

"Dos 177 casos de falsificação de documentos, 28 foram observados na África do Sul, onde foram detectados alguns moçambicanos residentes naquele país que tentaram obter bilhetes de identidade com recurso a documentos falsos’’, explicou Sumbane no briefing do balanço do primeiro semestre do ano em curso
Segundo Sumbane, igualmente foram registados 45 casos de estrangeiros envolvidos em actos ilícitos na obtenção de documentação moçambicana, na sua maioria cidadãos provenientes do Zimbabwe, Portugal e Nigéria.
‘’Recolhemos 20 bilhetes de identidade que se encontravam na posse de pessoas que não estão habilitadas a ter documentação moçambicana, com maior enfoque aos zimbabueanos’’, disse o porta-voz da DNIC.
Sumbane afirmou que 10 funcionários da instituição foram processados disciplinarmente pelo seu envolvimento em actos de falsificação e atribuição de bilhetes de identidade à estrangeiros e cobranças ilícitas, tendo sido expulso um por corrupção.
A fonte referiu ainda que durante o período em análise foram efectuadas mais de 700 brigadas móveis, que resultaram no atendimento de 77 mil cidadãos cujos bilhetes de identidade foram produzidos e entregues aos seus titulares.
Sumbane acrescentou que mais de 20 mil bilhetes de Identidade foram emitidos gratuitamente em parceria com Standard Bank e Lúrio Green Resources nas províncias de Nampula, Tete e Inhambane.
‘’Na Swazilândia, foram atendidos até o presente momento 814 moçambicanos residentes naquele Reino e 54 nos Estados Unidos da América’’, concluiu.
AIM