Imprensa

PR insta empreiteiros a dominar Lei do Sector

PR insta empreiteiros a dominar Lei do Sector

O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, instou a todos os empreiteiros, técnicos e gestores do sector a ter o domínio dos regulamentos em vigor no país, porque só desta forma estarão a contribuir para a qualidade e resiliência das infra-estruturas dentro de custos racionais.

“Queremos apelar a todos os contratantes ou os donos das obras, públicos ou privados, para melhorarem os critérios de avaliação dos concursos, que não se baseiem apenas no melhor preço, mas sim na situação em que a melhor qualidade técnica e o preço se conjugam”, sustentou Nyusi.

O Chefe do Estado falava durante a VI Gala da Construção 2018, evento que coincidiu com o lançamento da Revista da Federação Moçambicana de Empreiteiros, (FME), realizado ontem em Maputo.

Na ocasião, o Presidente Nyusi exortou a classe para que também acabe com a situação de obras mal paradas, abandonadas e de baixa qualidade, reiterando que o Governo vai continuar a intensificar o combate à corrupção no sector da construção, sobretudo no processo de contratação de empreitadas de obras públicas.

Sobre esta matéria, o estadista recordou que o Executivo criou, recentemente, a Inspecção-Geral de Obras Públicas, um importante órgão para o controlo de qualidade das obras públicas, em resposta ao clamor de todas as esferas da sociedade.

Sublinhou que a criação desta instituição é parte do esforço desencadeado pelo Governo na criação de um ambiente saudável entre os empreiteiros e a sociedade, no geral.

No seu discurso, Filipe Nyusi apelou ainda aos empreiteiros para que durante os concursos não optem por preços baixos, sem margem de risco, apenas para garantir a sua selecção, pois, muitas vezes tem sido esta a razão de não se honrar os compromissos.

“Evitem a fixação de prazos demasiado curtos, como forma de impressionar os donos das obras, e deixem de aplicar materiais de baixa qualidade para não desvalorizarem o vosso desempenho e esforço. Não empreguem técnicos sem qualificação para a dimensão e complexidade do trabalho a ser realizado”, aconselhou o Presidente.

(PR)