Imprensa

Primeira-dama renova apelos de solidariedade para com as crianças órfãs

Primeira-dama renova apelos de solidariedade para com as crianças órfãs

A Primeira-dama de moçambicana, Isaura Nyusi, reiterou quarta-feira o seu apelo à solidariedade para com as crianças órfãs e vulneráveis em todo o território nacional, como forma de garantir o respeito aos seus direitos, tais como educação, saúde e assistência social.

Citada na edição de hoje do jornal “Noticias”, Isaura Nyusi destacou que a solidariedade visa garantir o desenvolvimento humano e intelectual deste grupo alvo.

A esposa do Presidente da República falava minutos após a inauguração de salas de aulas na Escola Primária Completa de Namesica em Nacala-Porto, na província de Nampula, construídas no âmbito da 11ª Gala do Beneficente da Televisão de Moçambique (TVM) em parceria com o seu gabinete e a Cruz Vermelha de Moçambique.

Todos nós nesta sociedade temos o dever de unir esforços para garantir que as gerações mais novas tenham uma vida feliz, saudável e um futuro risonho que nos orgulhe como moçambicanos”, disse.

Sobre as novas salas de aula, Isaura Nyusi disse que se trata de um gesto e espírito de solidariedade característicos da sociedade moçambicana e que deveria manter-se, razão pela qual renova o seu apelo.

 A partir de hoje as criança de Namessica passam a contar com mais três salas construídas com material convencional equipadas com 100 carteiras avaliadas em 6,5 milhões de meticais (cerca de 100,4 mil dólares ao câmbio corrente) que irão beneficiar cerca de 700 alunos que antes estudavam ao relento”, disse Isaura Nyusi.

 Referiu que a eleição daquela escola para a construção das salas surgiu depois de se ter acompanhado a situação de vulnerabilidade e a falta de apoio institucional que aquele estabelecimento de ensino enfrenta e que coloca as crianças em situação precária.

 

“Escolhemos estas crianças para a nossa rápida intervenção por estarem desprovidas de apoio institucional, sem acesso as condições básicas de nutrição, assistência sanitária, acesso a educação em condições aceitáveis, entre outras privações”, disse Isaura Nyusi.

 

Na ocasião, A Primeira-dama fez lembrar o caso das crianças órfãs e desamparadas cujos progenitores morreram vítimas das tragédias de Caphiridzange em Tete que também carecem de solidariedade para o seu desenvolvimento e formação.

(AIM)