Imprensa

Reduzir despesas para continuar a fazer investimentos - PR

Reduzir despesas para continuar a fazer investimentos - PR

O Presidente da República, Filipe Nyusi, admite que, no país, ainda há um longo trabalho a fazer para garantir a transparência na gestão da coisa pública. 

Nyusi fez esta declaração na visita que efectuou, ontem, à Empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique, por ocasião da celebração dos 123 anos da sua criação.
O Chefe do Estado, disse ainda que, há falta de transparência e tendência de consumir o que não se produz.

“É nossa intenção conferir uma gestão transparente e eficiente da dívida e uma redução das despesas para permitir ao Estado continuar a fazer investimentos estratégicos. Afirmo que ainda temos que fazer muito; muito mais, porque continua a falta de transparência e a tendência de consumir o que não se produz”, disse.
O Presidente Nyusi referiu que o fluxo de investimento directo estrangeiro ao país, reduziu de 4 biliões de dólares em 2015, para 2.2 biliões em 2017, o que exigiu do governo um redrobrar de esforços para atrair novos investimentos.
Por seu lado, o Presidente do Conselho de Administração dos CFM, Miguel Matabele revelou que a empresa arrecadou, no ano passado, mais de 45 milhões de dólares, em receitas. 
Sobre isto, o ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, diz que os resultados alcancados pelos CFM, representam os objectivos do sector que dirije.
“É nosso objectivo continuar a expandir e a modernizar as infra-estruturas ferro-portuárias, com o devido planeamento e priorização e elevados padrões de fiabilidade“, frisou o ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita.