Imprensa

Tratamento da filaríose e parasitoses

Tratamento da filaríose e parasitoses

Pouco mais de dois milhões de pessoas dos cinco anos de idade em diante serão abrangidas pela campanha de tratamento massivo da filaríose e parasitoses que decorre desde segunda-feira em Tete.

O governador da província de Tete, Paulo Auade, disse no bairro Matundo, município da cidade de Tete, na abertura da semana da saúde, que as brigadas da saúde vão trabalhar em todos os distritos da província.

Auade pediu a adesão da população nos postos de tratamento para facilitar o trabalho dos agentes envolvidos na campanha.

Disse ainda que esta doença, vulgarmente conhecida por elefantíase, é provocada pela picadela de mosquitos e alertou as comunidades a tomarem medidas adequadas para o combate ao insecto transmissor da epidemia, dinamizando cada vez mais a limpeza individual e colectiva, destruição de locais de conservação de águas negras, cuidado com o lixo e o uso correcto da rede mosquiteira.

“O transmissor desta doença é o mosquito pelo que temos que fazer tudo ao nosso alcance para combatê-lo nas nossas casas e arredores”, disse Auade.

Entretanto, a directora provincial da Saúde em Tete, Carla Mosse Lázaro, disse que está preparada toda a logística nas sedes distritais para se evitar transtornos de última hora como ruptura do “stock” de combustível, medicamentos, entre outros factores que possam concorrer para o fracasso da campanha.

“Estamos seguros que vamos atingir a meta atribuída à província, visto que os habitantes têm afluído aos postos de tratamento em todas as campanhas do Ministério da Saúde”, concluiu.