Presidência da República

Presidente da República homenageia artistas do Bailado do X FNC

Presidente da República homenageia artistas do Bailado do X FNC

Lichinga (Niassa), 29 de Julho de 2018 – O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi,homenageou, durante a Sessão Extraordinária do Governo Provincial de Niassa, os artistas do bailado da Cerimónia de Abertura do X Festival Nacional da Cultura.

Ainda na Sessão, o Chefe do Estado felicitou a população de Niassa, em geral, e o Governo da província, em particular, pela exemplar organização do Festival, tendo dito que Niassa mostrou que é possível fazer tudo o que queremos no país, só com o talento nacional.

“A apresentação do bailado sobre a Rainha Habibi Achivángila, como pano central, foi um acto de louvor à nossa história, porque imortaliza-a, e ensina aos mais novos que temos muita história educativa que pode nos servir de inspiração”, disse o Presidente Nyusi.

De seguida convidou a encendora do bailado, Pérola Jaime, assim como os artistas que representaram o Rei Mataka (Issufo Sebastião Jaime), A Rainha Habibi Achivángila (Serena da Felicidade Damião), assim como a criança declamadora das cenas do bailado, para receberem um merecido aplauso dos participantes da Sessão.

Para o Presidente da República, a performance dos artistas prova que não precisamos de importar talento, pois, do Rovuma ao Maputo há jovens com capacidade para levar a bom termo qualquer missão, necessitando somente de oportunidades para demonstrar tal.

“Da forma sincronizada, disciplinada, rítmica e efectiva como os jovens exibiram o Bailado, merecem o carinho de todos os moçambicanos, e de todos os que se deliciaram com a sua apresentação”, disse o estadista.

De referir que o Bailado retratou a coragem da Rainha Habibi Achivángila (este último termo que significa Salvadora do povo), ao enfrentar o seu marido, o Rei Mataka, que quis continuar com a venda de escravos, tendo ela escondido cerca de mil pessoas, a quem diariamente dava de comer.

No fim o Rei Mataka entendeu as razões da Rainha Habibi, e ele próprio passou a ser o maior defensor do seu povo, que nunca mais foi vendido como escravo durante o seu reinado.