Presidência da República

“Temos que estar atentos para impedir desinformação” - PR

Guro, Manica, 03 de Agosto de 2017 – O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, instou a população do distrito de Guro, província de Manica, a estar atenta para impedir quaisquer formas de desinformação no processo de Recenseamento Geral da População e Habitação, que eventualmente possam ocorrer.

O Chefe do Estado lançou o apelo no comício que orientou, na tarde desta quinta-feira, na vila-sede do distrito, no quadro da sua visita de trabalho à esta província, que arrancou ainda hoje no vizinho distrito de Tambara.

“Nós sabemos que há um grupo de pessoas que estão a desinformar, estão a prejudicar as pessoas. Não há nenhum país no mundo que não sabe quantas pessoas existem. Só Moçambique é que vai começar a ser um país que não sabe quantos cidadãos tem?”, questionou o Chefe de Estado, para quem esses indivíduos pretendem enganar o povo e prejudicar toda uma nação.

Continuando na sua explicação, o Presidente Nyusi disse que o Censo visa, essencialmente, saber o grau de problemas que Moçambique enfrenta e, desta forma, conhecer melhor as para a provisão dos serviços à população.
“Para o banco vir aqui foi preciso que o governador dissesse que em Guro há muita gente, porque só podem instalar onde há muito dinheiro”, exemplificou o Presidente da República.

“Hão-de vir nas vossas casas jovens que estão a recensear. São nossos filhos, irmãos, sobrinhos. Pedimos que os recebam bem e eles estão treinados para fazer perguntas”, apelou Nyusi.
Na ocasião, O Presidente da República manifestou a satisfação pelo facto de ter contado que há muitos partidos envolvidos na sensibilização das populações para aderir ao processo.
“Aquele que quer ser moçambicano, quer ser pessoa de Manica, quer ser pessoa de Guro, e mesmo aquele estrangeiro que vive aqui, é melhor ir se inscrever para sabermos quantos comprimidos devemos trazer aqui. Quantos livros temos de comprar para aqui. Para sabermos se essa estrada que vocês pediram vale a pena fazer, ou temos de construir noutro distrito. Por isso, devem se recensear”, exortou.
Falando sobre a paz, o Chefe do Estado vincou a necessidade de se continuar a viver em harmonia, tolerância, perdão e reconciliação entre os moçambicanos, de modo a criar um ambiente saudável para o desenvolvimento do país.

Na questão da produção agrícola, o Chefe de Estado manifestou a sua satisfação com facto de o distrito de Guro e a província de Manica, em geral, terem respondido os apelos de aumento de produção e produtividade, encorajando a população a continuar com este desafio para que, até em 2018, o país deixe de importar comida.
Antes de escalar este Distrito, o Chefe do Estado orientou um outro comício em Tambara, onde também inaugurou a ponte sobre o rio Muira, construída na principal via que estabelece a ligação entre os dois distritos, financiado pelo Governo moçambicano.